Notícias e artigos - 20 de dezembro de 2023

Descubra como fazer o planejamento tributário do próximo ano fiscal

Conforme o ano fiscal vai chegando ao fim, há necessidade de iniciar planejamento tributário para o próximo ciclo. Seja para empresas de pequeno, médio ou grande porte, ter precaução é ainda mais urgente, tendo em vista a iminente Reforma Tributária que está prevista para 2024.

Esse cuidado não é apenas uma resposta às obrigações fiscais, mas também uma estratégia para garantir o bem-estar financeiro da sua marca. Para quem se organiza, há tranquilidade no cumprimento de normas e maiores possibilidades de economia. Se você quer saber como otimizar sua estrutura tributária, identificar oportunidades para redução de custos e atingir o sucesso financeiro sustentável, continue a leitura e confira nossas recomendações!

Compreendendo o Ano Fiscal

O Ano Fiscal nada mais é do que o período utilizado pelas empresas para fazer a apuração e o recolhimento dos impostos e, assim como o Ano Civil, também tem a duração de 12 meses.

Nesse sentido, é importante se atentar às datas-chave e prazos no calendário fiscal visando realizar a entrega das obrigações fiscais, como declarações, pagamentos e documentos fiscais.

O não cumprimento desses prazos pode resultar em multas e penalidades, além de comprometer a regularidade fiscal da empresa perante os órgãos competentes, impactando sua reputação e operações.

Portanto, realizar o acompanhamento rigoroso das datas é fundamental para a conformidade tributária e financeira da sua organização, assegurando mais sucesso na gestão tributária.

Avaliação do Ano Fiscal Atual

Também é preciso fazer uma avaliação cuidadosa do Ano Fiscal Atual. Esse cuidado vai garantir melhora na gestão financeira da empresa, além de permitir uma análise aprofundada do desempenho.

Essa etapa pode envolver a avaliação detalhada das receitas, despesas, lucros e prejuízos ao longo do período. Além disso, é preciso verificar o desempenho financeiro atual, usando indicadores-chave, como margens de lucro, liquidez e endividamento, além da comparação com períodos anteriores.

Ainda é possível usar ferramentas contábeis importantes nesse processo, como balanços patrimoniais e demonstrativos de resultados. A compreensão do panorama financeiro proporciona informações importantes para tomadas de decisão estratégicas, identificando áreas de melhoria, otimizando recursos e fortalecendo a saúde financeira da empresa.

Escolha do Regime Tributário Adequado

Fazer uma escolha adequada do regime tributário é uma das estratégias fiscais mais importantes para o sucesso do seu negócio, pois pode gerar deduções fiscais e melhorar a lucratividade da empresa. Apresentamos cada um deles, a seguir:

  • Simples Nacional — é indicado para micro e pequenas empresas, simplificando o pagamento de impostos em uma única guia;
  • Lucro Presumido — apropriado para negócios com faturamento anual até 78 milhões anuais, sendo tributado com base em uma margem de lucro presumida;
  • Lucro Real — é um sistema mais complexo, exigindo o cálculo dos tributos com base nos lucros efetivos.

A escolha do regime depende do perfil e tamanho da empresa, assim como da atividade exercida. Optar pelo Simples Nacional é vantajoso para negócios de menor porte, enquanto empresas com maiores complexidades operacionais podem se beneficiar do Lucro Presumido ou Lucro Real.

A análise criteriosa das características do negócio, aliada a consultorias especializadas, é essencial para a decisão mais adequada a fim de potencializar os resultados do seu empreendimento.

Estratégias de Redução de Impostos

Agora que você já sabe a importância de escolher um bom regime tributário para reduzir a carga de impostos empresariais, é hora de descobrir táticas que podem auxiliar nessa tarefa, como:

  • otimizar a estrutura societária — esse passo permite desfrutar os benefícios fiscais previstos em lei;
  • aproveitar incentivos fiscais setoriais — é preciso identificar e utilizar incentivos fiscais específicos para o setor do seu negócio para reduzir a carga tributária;
  • fazer um planejamento Tributário — ajuda a melhorar a gestão fiscal, considerando cenários futuros e possíveis adequações;
  • explorar as deduções Fiscais — ao conhecer a legislação, é viável reduzir a base de cálculo dos tributos devidos por meio das deduções;
  • avaliar os créditos tributários — observe se existem créditos tributários não utilizados para realizar sua recuperação, contribuindo para a redução dos custos fiscais;
  • revisar os processos internos — permite identificar oportunidades de economia na parte fiscal da empresa, como o BPO financeiro.

A implementação dessas estratégias vai garantir que a companhia tenha melhores resultados na área fiscal e assegurar crescimento constante.

Planejamento de Fluxo de Caixa

Um planejamento do fluxo de caixa bem estruturado vai além do monitoramento financeiro, atuando como uma ferramenta estratégica para a gestão tributária. A capacidade de auxiliar na preparação fiscal facilita as demais etapas do planejamento para o próximo ano.

Ao antecipar receitas e despesas, o fluxo de caixa proporciona uma visão clara sobre as implicações fiscais da sua atividade. Essa integração estratégica permite otimizar recursos, identificar períodos mais adequados para investimentos, facilita a tomada de decisão e calibra a previsão de impactos tributários.

Passos Práticos para a Preparação do Ano Fiscal

Criar uma rotina de preparação para o ano fiscal pode ser uma tarefa desafiadora. Veja, a seguir, quais passos podem guiar a elaboração de estratégias específicas para a sua empresa:

  • considere a situação atual — verificar cuidadosamente as demonstrações financeiras ajuda a identificar pontos de otimização. Isso inclui a análise de despesas dedutíveis e possíveis créditos fiscais;
  • antecipe a reforma tributária — acompanhar os principais canais de notícias sobre as mudanças regulatórias que impactam sua atividade. Como por exemplo as novas alíquotas que impactam os seus impostos;
  • crie metas tributárias — determinar metas claras para reduzir os passivos fiscais também é uma etapa importante desse planejamento. Para tanto, crie políticas internas a fim de maximizar os incentivos fiscais disponíveis em sua atividade;
  • otimize a estrutura tributária — considere qual formato de tributação faz mais sentido para a realidade da sua empresa. Nesse caso, avalie regimes tributários disponíveis e quais oferecem melhores incentivos;
  • conte com a ajuda de um especialista em planejamento tributário — dada a dificuldade em compreender as minúcias dos impostos empresariais, vale a pena consultar profissionais que trabalham exclusivamente com essas questões e podem oferecer uma avaliação personalizada. Isso pode revelar oportunidades e melhorias não identificadas por seus colaboradores.

Ao adotar as práticas apresentadas, você consegue otimizar todo o planejamento tributário para o próximo ano fiscal. Além de melhorar as condições financeiras da empresa, esse cuidado contribui para encontrar meios de reduzir os impostos dentro de práticas legais, além de facilitar a adaptação diante da reforma tributária.

Quer saber como preparar o negócio para mudanças na estrutura legislativa? Então siga com a visita ao blog para entender como a Reforma Tributária afeta sua empresa e como se preparar!